DESTAQUE

Mesmo sabendo do possível colapso, governo do Pará insistiu em realização de concurso público

Foto: reprodução

Mesmo sabendo do possível colapso na saúde de Belém, o governo do Pará insistiu para que a realização do concurso público da Polícia Militar do Estado do Pará, com mais de 67 mil inscritos, ocorresse.

Foi preciso o STF, através do ministro Luiz Fux intervir para que não acontecesse o concurso no próximo domingo, 14. Fux atendeu pedido do MPPA, pois o governo havia conseguido liminar no Tribunal de Justiça do Estado, autorizando a realização da prova. Na avaliação do presidente do STF, a realização de provas representaria “grave risco de lesão à saúde pública”.

Fux destacou que as informações apresentadas retrataram “o iminente colapso no sistema de saúde”. Mediante a esses dados  o STF conseguiu impedir que o concurso fosse realizado, contrariando o que queria o governo do Pará, que hoje, 13, manifestou em suas redes sociais o adiamento das provas, acatando a ordem do Supremo Tribunal Federal.

Compartilhe:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também