DESTAQUE

Apologia ao crime: exonerados militares que festejaram liberdades de policiais acusados de estupro no Pará

Reprodução rede social

Foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, 22, a exoneração dos comandantes que organizaram um evento em comemoração a soltura de policias acusados de estuprar e torturar uma jovem, de 18 anos, dentro de sua casa em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém.

O promotor de justiça militar, Armando Brasil, instaurou nesta segunda-feira, 22, um procedimento investigatório criminal na Promotoria Militar para apurar o fato.

A comemoração foi na manhã da última sexta-feira, 19, em frente do Batalhão de Choque PM, no bairro da Cremação. Os militares iniciam o canto dizendo “Uh, ah-há, o terror vai começar” em seguida cantam: “ninguém gosta da gente, a marca da Rotam, incha olho e quebra dente, e se bater de frente vai ficar com a cara inchada”.


Entenda o caso:

Os quatro policiais militares presos acusados de estuprar e torturar uma jovem, de 18 anos, dentro de sua casa em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém em julho deste ano, tiveram a liberdade concedida pela justiça paraense na manhã desta sexta-feira, 19.

Em conversa com o promotor de justiça militar do Pará, Armando Brasil, ele explicou que apesar da prisão preventiva dos policiais ser revogada, o processo segue em aberto e nenhum deles foi inocentado. “Eles estão soltos, mas podem vir a ser presos caso sejam condenados pela prática dos crimes de estupro e tortura ou mesmo se descumprirem as medidas cautelares da prisão preventiva”, afirmou.

Fonte: RomaNews

Compartilhe:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também